SHARE

A importância da Ciẽncia Aberta

Alguns apontamentos sobre Open Acess e Arqueologia

Nos ultimo anos, mais especificamente no inicio do séc. XXI, vem emergindo o termo “Open Science” ou ainda “Open Acess” para descrever as disponibilizações on-line de artigos e pesquisas cientificas de maneira gratuita, que se constituem de “Open Data”. (Dados abertos). Com o passar do tempo e de declarações e pronunciamentos como o de Bethesda, o de Budapeste e o de Berlim, e o manifesto brasileiro, lançado pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). As ideias acerca desta fonte aberta de conhecimento foram sendo desenvolvidas e ganharam grandes proporções. 

O acesso ao conhecimento deveria ser mais amplo, não se limitando então, somente a artigos acadêmicos publicados no final da pesquisa, como também a disponibilização a outros dados em formas de gráficos, tabelas, imagens e materiais visuais em vários recursos multimídia. Eventos que focam no impacto da Open Data na arqueologia estão sendo conduzidos com uma frequência constante e os serviços de publicação dos dados on-line estão em constante desenvolvimento. A Arqueologia Aberta (Open Archaeology) é um conceito emergente nos últimos anos, evidentemente nos congressos internacionais da World Archaeology, que  demonstra que alguns arqueólogos já estão conscientes das implicações e benefícios da difusão de dados de pesquisas na Internet.  

As diretrizes tecidas inicialmente nestas declarações e pronunciamentos atentam para a importância da socialização do conhecimento, para além de uma Arqueologia Aberta (Open Archaeology) esta virada de paradigma contempla uma Ciência Aberta (Open Science). Estas questões visam garantir legitimidade às formas de acesso gratuitas (Open Acess), que são mediadas pela internet de maneira ampla e democrática. Em contrapartida os pesquisadores são incentivando a se apropriarem do uso de ferramentas multimídias e digitais como parte da metodologia de suas pesquisas. 

O crescimento da internet criou espaços digitais em que se é possível discutir dimensões de acessibilidade, sustentabilidade e assuntos diversos. É imprescindível ressaltar que o uso de mídias online como uma ferramente para o compartilhamento de dados e o envolvimento de especialistas é amplamente utilizado pelos museus, livrarias e setores de arquivos e esta em pleno desenvolvimento desde os meados dos anos 90. 

Dados de qualidade disponibilizados gratuitamente na internet ajudam a tornar uma ciência horizontal, descentralizando a autoridade cristalizada do cientista de modo que qualquer individuo possa produzir sua "narrativa" acerca da ciência. Além disso, quando um acadêmico opta por deixar seu trabalho publico ele aumenta a abrangência  de sua pesquisa de modo que, facilita para que outros cientistas tenham acesso e compartilhem de suas ideias, criando um diálogo aberto e construtivo de ciência

 

 Alguns exemplos de iniciativas Open Acess

PELAGIOS (Pelagios: Enable Linked Ancient Geodata in Open Systems <http://commons.pelagios.org/>

Outro exemplo é o MAPPA, o primeiro projeto italiano de repositório online da arqueologia; Disponível em: http://mappaproject.arch.unipi.it/mod/Index.php

 Acervo Mesoamericano: http://www.acervomesoamericano.org/